dimecres, 2 de febrer de 2011

Pele em pedra

Gostaria de ver os anos das árvores,
fazer um círculo,
fechar um ciclo,
ser a pele em pedra
ou o tronco
tranquilo
úmido

O sangue
-quente doçura
vermelha alegria-

me demanda

desfazer-me,
desestruturar-me,
reinventar-me,
aceitar o mistério.

Anilha amando-te.


(Traducció de Maria Regina Lucena Borges Osório)

dimarts, 1 de febrer de 2011

Limôes

Tu espremias limôes
tâo tranquila
tâo ensimesmada
que eu, enquanto conversava contigo
e mirava o teu torso
e o inicio dos seios,
queria diluir-me na tua pele
e queria ser uma lua
para transformar em luz
os cabelos esvoaçantes e alegres.

Depois, chega a manhâ
como um fogo seco e dourado
na garganta
e te despertas
e me olhas tâo suave
e cais no sofá
e nâo podes escutar
e ainda nâo sabes conversar.

Teu sono é pesado,
mas estás bela.

Sou feliz
e vou a comprar café.

(Traducció de Maria Regina Lucena Borges Osório)